CONCURSO NACIONAL DE DESIGN 2017

O Concurso Nacional de Design 2017, organizado pela iniciativa privada, tem como objetivo incentivar a criatividade e o empreendedorismo, oportunizando o reconhecimento de talentos e gerando visibilidade e introdução dos participantes ao mercado de trabalho. O Concurso pretende mostrar diferentes visões, iniciativas, projetos e despertar os participantes para o avanço das novas tecnologias e o uso da internet como espaço comercial para a economia criativa.

Poderão participar toda a comunidade de estudantes e profissionais matriculados ou graduados nos cursos de: Design, Design Gráfico, Design de Interiores, Design de Produtos, Design de Moda e Arquitetura em uma universidade, faculdade e instituição de ensino tecnológico, técnico ou profissionalizante.

Vale lembrar que visando uma concorrência justa e leal, os estudantes inscritos não concorrerão com profissionais e vice-versa. E ambas as categorias terão os mesmos direitos.

DAS INSCRIÇÕES

As inscrições estarão abertas a partir de 24 de Março e irão até o dia 24 de Maio. Para a realização da mesma, será cobrada uma taxa no valor de R$ 25,00(Vinte e cinco reais) por projeto ou protótipo inscrito.

Não serão aceitas inscrições de duplas, grupos ou equipes.

Cada participante poderá inscrever o limite máximo de 10 (dez) projetos e(ou) protótipos, o mesmo será responsável pelo pagamento das 10 (dez) inscrições, que deverão ser realizadas separadamente.

A inscrição deverá ser realizada online pelo site: www.piluca.com.br. Junto as imagens do projeto inscrito, deverão ser informados os seguintes dados do concorrente: Nome, universidade, curso ou formação, e-mail e descrição do projeto.

PREMIAÇÃO

Os 20 (vinte) primeiros colocados no concurso terão as suas peças fabricadas, divulgadas e comercializadas nos e-commerce e varejistas listados abaixo:

  • Kanui
  • Dafiti
  • Mobly
  • Netshoes
  • Walmart
  • CDiscount
  • com
  • Shoptime
  • Piluca
  • Loja Própria (Nova Marca)

Para mais informações sobre premiação, inscrições, prazos, conceito e categorias, o candidato deve acessar o site: www.piluca.com.br e ler o regulamento.

FACEBOOK_POST

Continue Reading

1001 filmes e séries sobre moda (parte 3)

Continuando o post sobre filmes e séries de moda. Se você não leu os anteriores clique aqui.

Laguna Beach: The Real Orange County

‘Laguna Beach: The Real Orange County’ foi um reality show americano que documentava a vida de diversos adolescentes em Laguna Beach, Califórnia, uma comunidade rica do Condado de Orange. Esta foi a primeira série da trilogia ‘Laguna Beach, The Hills e The City’.

The Hills

‘The Hills’ é a série/reality show que acompanhava o dia a dia de Lauren Conrad, Heidi Montag, Audrina Patridge, Whitney Port, Lo Bosworth e Kristin Cavallari e amigos. Jovens ricas, belas e descoladas que viviam (e ainda vivem) todo o glamour de Los Angeles. ‘The Hills’ é um spin-off* da série ‘Laguna Beach: The Real Orange County’. E uma curiosidade, antes de ser famosa Kim Kardashian apareceu na série, para ver clique aqui. AMO MUITO! Por que assistir? A série fala muito sobre moda e comunicação, o começo de carreira da estilista Lauren Conrad, desde o começo na faculdade de moda, passando pelo seu primeiro estágio da Teen Vogue até lançar sua própria coleção, mostra vários lugares descolados, os looks das protagonistas também são fantásticos, muito drama, etc.

PS: PROCURO PARA COMPRAR URGENTEMENTE O BOX DA SÉRIE! SE ALGUÉM SOUBER ONDE VENDE MANDA UMA MENSAGEM!

The City

Encerrando a trilogia (Laguna Beach, The Hills e The City), a série ‘The City’ foi um reality show da MTV, assim como as antecessoras. Desenvolvido como o spin-off 8de ‘The Hills’, a série acompanhava o dia-a-dia de Whitney Port e Olivia Palermo em Nova York e foi ao ar por apenas duas temporadas.

História: Em 2004, o reality show ‘Laguna Beach: The Real Orange County’ estreou na MTV . O programa foi criado por Liz Gateley e documentou a vida de vários alunos que frequentavam Laguna Beach High School. A série foi bem sucedida, mesmo após a segunda temporada o grupo original ser substituído por outro grupo de adolescentes para a temporada seguinte. Após o final da série o produtor de televisão Adam DiVello desenvolveu o programa ‘The Hills’ como spin-off*  de ‘Laguna Beach’, em que mostra uma das protagonistas da série anterior, Lauren Conrad, quando ela se muda para Los Angeles para seguir carreira na indústria da moda. Depois que ‘The Hills’ se tornou uma das séries de maior sucesso nos EUA, DiVello desenvolveu ‘The City’ como a conclusão da trilogia, em que mostra Whitney Port, de ‘The Hills’, quando se muda para Nova York para começar o emprego com Diane von Fürstenberg.

*obra narrativa derivada de uma ou mais obras já existentes.

Queen of the South

Alice Braga está maravilhosa! Após o sucesso de Wagner Moura no papel do traficante de drogas Pablo Escobar em “Narcos” (série produzida pela Netflix), chegou a vez de Alice Braga brilhar com sua primeira protagonista na televisão americana: a criminosa Tereza Mendoza. Na trama, sua personagem foge do México após a morte do namorado e passa a viver nos Estados Unidos. Em pouco tempo, ela se torna líder do cartel de drogas que a persegue. A série não é sobre moda e nem fala sobre o assunto, mas achei interessante destacar como apenas uma mudança de roupa muda o estilo/imagem de uma pessoa, e a série mostra bem isso. Lição que fica: figurino é tudo!

RuPaul’s Drag Race

RuPaul, a drag queen mais famosa do mundo, apresenta o concurso mais colorido da televisão. As concorrentes precisam ser divas com muito glamour para ganhar o cobiçado título de Drag Queen Superstar. Muito glitter!!!

The Paradise

Ainda não assisti, mas está na minha lista! A história é sobre uma garota de uma cidade pequena, mas de grandes ideias, que se muda para Newcastle e aceita um emprego na primeira loja de departamentos do país.

Continue Reading

1001 filmes e séries sobre moda (parte 4)

Continuando o post sobre filmes e séries de moda.

Girlboss

Série inspirada na vida da CEO e fundadora do e-commerce Nasty Gal, Sofia Amoruso, já tem sua data de estreia anunciada: 21 de abril de 2017. Baseada no best-seller autobiográfico de Sophia Amoruso (recomendo muito o livro, é muito bom!), a trama contará a história de Sophia, uma jovem com ideais anarquistas que se recusa a entrar para a vida adulta e conseguir “um emprego de verdade”. Após topar com sua paixão de vender roupas vintage na internet, Sophia se torna uma improvável dona de empresa ao ver o seu pequeno site crescer.

Cashmere Mafia

No estilo Sex and The City a série mostra  a vida de um grupo de executivas bem-sucedidas que moram em Nova York e são amigas desde a faculdade.

Drop Dead Diva

Quando a bela e superficial modelo Deb morre em um acidente de carro, sua alma reencarna no corpo de Jane, uma advogada obesa que é brilhante e bem amada, exatamente o oposto de Deb.

The Get Down

The Get Down é uma série de televisão de drama musical americana. A história, criada por Baz Luhrmann e Stephen Adly Guirgis, se passa em Nova Iorque. A série mistura fatos reais à ficção para contar o ínicio do hip hop no Bronx, em NY. Novamente, o figurino rouba a cena e ajuda a ambientar o final dos anos 70.

Mr. Selfridge

A série conta história do empreendedor Harry Gordon Selfridge, um americano que, em 1909, foi tentar a vida no velho continente e acabou fundando a primeira e uma das maiores lojas de departamento de Londres, a Selfridges, e acabou iniciando uma verdadeira transformação no mundo do varejo, oferecendo um ambiente extremamente favorável ao consumidor feminino da época.

Continue Reading

1001 filmes e séries sobre moda (parte 2)

Continuando a matéria sobre séries e filmes sobre moda que irei separar em várias postagens, de 6 em 6 sugestões para cada post, filmes e séries inspirados ou que falem sobre o mundo fashion. Comecei o primeiro post falando sobre séries/programas e darei continuação aqui, depois falarei sobre os filmes. Enjoy!

Se você não leu o primeiro post clique aqui.

Latitudes

A produção, brasileiríssima, é maravilhosa! A trama conta com figurinos lindos com foco em marcas nacionais e teve a parceria do gigante fashion OQVestir, e era só entrar no site que qualquer pessoa poderia comprar as roupas usadas pela personagem! O figurino de Alice é composto basicamente só de moda nacional – Mixed, Gloria Coelho, Lino Villaventura e Adriana Degreas, entre elas. Coordenada pela figurinista veterana Leticia Barbieri, a produção teve auxílio de Juliana Franco, editora do e-commerce OQVestir.

A série mostra a vida de Olívia (Alice Braga) uma editora de moda que viaja pelo mundo à procura de tendências, seguindo desfiles de moda e se hospedando em hotéis luxuosos. E em uma dessas viagens ela conhece José (Daniel de Oliveira), fotógrafo prestigiado que também circula por vários países clicando editoriais. Entre encontros e desencontros, o casal aos poucos se entrega a uma intensa paixão. A série foi rodada em oito cidades em todo o mundo. Latitudes foi o primeiro projeto amplamente transmídia do Brasil. A série estreou na internet primeiro, seguindo para a TV e, mais tarde, chegou aos cinemas em formato de filme.

The Carrie Diaries

The Carrie Diaries se passa nos anos 80 e é um spin-off da série de televisão Sex and the CityA série mostra a fase juvenil da personagem principal de Sex and the City, Carrie Bradshaw. A produção teve baixos índices de audiência e foi cancelada, mas ainda acho que vale assistir, a trama é leve, mostra um figurino bem elaborado e fala muito sobre o mundo da moda.

Downton Abbey

Figurino de época, precisa falar mais alguma coisa? O figurino da série, que se passa entre as décadas de 1910 e 1920, é impecável. A série britânica de drama segue a vida dos Crawley, uma família de aristocratas, e seus empregados em uma casa de campo.

Scandal

A série não fala sobre moda, mas o figurino da personagem principal se destaca.

Olivia Pope (Kerry Washington) é relações públicas da Casa Branca e passa seu tempo protegendo a reputação das personalidades estadunidenses da elite, evitando grandes escândalos. Após deixar seu trabalho na Casa Branca a moça decide abrir a sua própria empresa de gestão de crises, mas não consegue se desvencilhar totalmente de seu passado profissional. Olivia faz o estilo de mulher de negócios e, dos ternos aos vestidos de festa, sempre arrasa em seus looks.

Lipstick Jungle

Baseado no best-seller de Candace Bushnell, autora de “Sex and The City”, Lipstick Jungle é uma série atrevida e inspiradora sobre três poderosas mulheres que se ajudam mutuamente a ultrapassar os triunfos e os fracassos da vida em Nova York. A série mostra os altos e baixos de Wendy (Brooke Shields) uma sofisticada executiva de cinema que tenta conjugar uma carreira e uma família, Victory (Lindsay Price) uma designer de moda com o espírito livre e que sonha com um grande romance, e Nico (Kim Raver) uma ambiciosa editora de uma revista de moda.

Keeping Up With The Kardashians

Você pode até não gostar das irmãs Kardashian/Jenner, mas com certeza já ouviu falar da família ou alguma delas já inspirou seu look. Não é para menos, as irmãs, além de celebridades e socialites, são empresárias no mundo da moda e beleza e ditam tendências nos dias atuais. Kim Kardashian, que começou a vida profissional como personal shopper e personal organizer de famosas como Paris Hilton (e foi assim que começou a ficar conhecida nas rodinhas de famosos, além da sex tape que a fez ficar famosa), hoje é considerada uma das maiores influenciadoras digitais pela revista FORBES, seguida da sua meia-irmã Kylie Jenner. O reality show da família que vai ao ar pelo canal pago E! já tem vários outros formatos, como o reality ‘Revenge Body’ de uma das irmãs, a Khloé Kardashian, em que ela fala sobre emagrecimento. Os programas de modo geral focam na vida profissional e pessoal de toda a família. A série estreou em 14 de outubro de 2007 e continua atualmente com altos índices de audiência. Eu particularmente acho sensacional os looks da irmãs e a forma como Kim (com um corpo cheio de curvas e com 1,60m de altura) transformou-se em tendência fashion em um mundo em que antes só era considerado bonito um tipo de corpo (ser magra e alta como uma modelo de passarela) e que está longe da realidade das mulheres de todo o planeta. Thanks Kim!

Continue Reading

Personal: shopper, stylist ou organizer?

Começarei a fazer posts sobre profissões no mundo da moda. Muita gente acha que é só fazer uma faculdade de moda e sairá somente como designer, um belo engano, a área fashion existem milhares de outras funções, assim como na área de comunicação.

Hoje aproveitarei o filme da Kristen Stewart ‘Personal Shopper’ para falar mais sobre essa diferença. Antes que perguntem e já aproveitando o gancho do filme, eu assisti e não achei grande coisa, é legal pela atuação da Kristen, por alguns looks e por mostrar o trabalho de uma personal shopper, mas o roteiro não foi bem aproveitado. Agora vamos ao que interessa!

Kristen em uma cena do filme ‘Personal Shopper’.

Personal shopper

O nome já diz tudo, personal shopper é um um comprador profissional, ele é especializado e treinado para auxiliar nas compras em que acompanha, ou não, e orienta seus clientes. A profissão é comum em centros de luxo internacionais como o Le Bon Marché, em Paris, e já está virando moda no Brasil, alguns shoppings e lojas já oferecem esse tipo de serviço ou ainda o cliente pode contratar um personal shopper particular, como mostra no filme, e é o tipo mais comum de serviço para celebridades, que não podem se expor em grandes centros comerciais, ou pessoas que não têm tempo para fazer compras. Kim Kardashian era personal shopper e personal organizer de alguns famosos, entre eles Paris Hilton. Mas não se engane se parece ser fácil, o profissional precisa entender muito de moda, saber as medidas das clientes, além do gosto pessoal de cada uma, saber o que fica bem em cada ocasião, ter parcerias com marcas e muito mais. Para saber mais clique aqui.

Personal stylist

Personal Stylist é o profissional que presta serviços como a indicação da melhor maneira que uma pessoa deve se vestir e se apresentar na sociedade, de acordo com seu estilo pessoal, sua personalidade, sua profissão e sua projeção. Basicamente, o trabalho consiste em fazer uma avaliação do perfil do cliente, conhecer e organizar o closet, sugerir combinações entre as peças já existentes e indicar na compra de novas. Artistas, políticos e quem precisa melhorar a imagem, muitas vezes por ter alcançado um novo posto no trabalho, são os clientes mais frequentes. O preço do serviço varia de acordo com cada profissional, mas pode ficar entre R$ 400, o dia, e R$ 10 mil, o pacote, o mesmo vale para o serviço de personal shopper. O ideal é que tanto para a profissão de personal shopper quanto para a de personal stylist o profissional tenha faculdade de moda ou algum curso de especialização.

Personal organizer

Sabe a Marie Kondo? Então, a japonesa, com apenas 30 anos, virou celebridade internacional, uma espécie de guru quando o assunto é organização. O personal organizer é uma profissão que está chegando ao mercado brasileiro e promete ser a solução para pessoas que não têm tempo ou disciplina para pensar em um sistema de organização sozinhos. Eles fazem projetos de organização de residências que estejam de acordo com os perfis dos moradores, proporcionando mais conforto e melhor qualidade de vida. Já existem vários cursos no Brasil de personal organizer, mas se você não puder fazer um curso o livro da Marie Kondo pode ajudar.

Continue Reading

1001 filmes e séries sobre moda (parte 1)

O cinema, a TV e a moda sempre andaram juntos, seja como uma fonte de inspiração ou pelo figurino que é capaz de transformar uma série, ou um filme, em um clássico, ou ainda por mostrar o dia a dia que quem vive da moda. Pensando nisso selecionei vários filmes e séries que retratam a indústria da moda ou que se inspiraram no mundo fashion. Como a lista ficará grande irei dividir em várias postagens (de 6 em 6 sugestões para cada post) e começarei com as séries. Enjoy!

Sex and the City

Quem não lembra de Carrie Bradshaw, Samantha Jones, Charlotte York e Miranda Hobbes? A história se passa em Nova York e retrata a vida de quatro amigas e suas relações. A premiada série, que teve estreia em 1998, foi baseada no livro de mesmo nome da escritora Candace Bushnell, e teve continuação através de dois filmes: Sex and The City – O Filme, lançado dia 27 de maio de 2008 e Sex and the City 2, lançado dia 28 de maio de 2010. O figurino premiado, assinado pela estilista Patricia Field, até hoje é fonte de inspiração e continua bem atual.

Atelier

Série original da Netflix. O drama se passa em torno da personagem Mayuko Tokita, uma jovem apaixonada por tecidos que consegue um emprego em um atelier de luxo especializados em lingeries chamado Emotion.  Além de seus dramas pessoais e o conflito sobre a própria imagem, a personagem precisa enfrentar o cruel mundo da moda e lidar com sua sua conturbada relação com Mayumi Nanjo, sua chefe, que tem sido comparada a Anna Wintour, editora da Vogue americana. Recomendo muito para quem quer trabalhar com moda pois a série, além de mostrar como é o trabalho em um atelier, também foca no crescimento profissional da personagem. Indico este post para quem quer saber mais sobre.

Gossip Girl

A série é baseada na série literária homônima da escritora Cecily von Ziegesar e conta a vida de um grupo de jovens milionários do Upper East Side através dos olhos de uma blogueira que sabe tudo o que acontece em suas vidas. Os personagens lançaram tendência durante as seis temporadas em que a série esteve no ar e ainda são fonte de inspiração para muita gente.

Mad Men

Uma das minhas favoritas e acho que para todos que trabalham com comunicação e publicidade.

A série passa-se na década de 60, inicialmente na agência de publicidade fictícia Sterling Cooper, localizada na Madison Avenue, em Nova York. O foco da série é o personagem Don Draper (Jon Hamm), diretor de criação da Sterling Cooper, bem como as pessoas que fazem parte de seu círculo social. A trama tem como foco a parte profissional das agências de publicidade e os dramas dos personagens. A série Mad Men foi largamente elogiada pela crítica, especialmente por sua autenticidade histórica, estilo visual, figurino, atuações, roteiro e direção de reconhecida qualidade, tendo conquistado diversos prêmios, incluindo quinze Emmys e quatro Globos de Ouro. É a primeira e única série de basic cable a conquistar o Emmy de série dramática de destaque, vencendo-o para as primeiras quatro temporadas consecutivas (2008, 2009, 2010 e 2011).

America’s Next Top Model

America’s Next Top Model é um reality show de competição criado e originalmente apresentado pela top model Tyra Banks. O programa mostra aprendizes de modelos que convivem durante três meses em uma luxuosa casa e passam por provas de fotografia, passarela, vídeo, atuação e personalidade. Ao final de cada episódio, as competidoras são avaliadas por Tyra e seu time de jurados que decidem quem será eliminada.

Project Runway

Project Runway é outro reality show do mundo da moda, assim como America’s Next Top Model, a série mostra a competição entre estilistas e é apresentado pela modelo Heidi Klum. Basicamente o programa mostra a competição entre designers de moda que em cada episódio serão eliminados após um desfile mostrando seus projetos. Os finalistas precisam apresentar uma coleção de moda completa para a Nova York Fashion Week, onde um vencedor é escolhido. Recomendo para quem quiser seguir na área de criação.

 

Continua…

Continue Reading

Minha tatuagem

Sempre tive vontade de fazer uma tatuagem, e com uns 16 anos coloquei na cabeça que iria fazer um cavalo alado (incentivada pela moda da Feiticeira, quem lembra?), com a decisão tomada só faltava convencer minha mãe a dar a autorização, com muito custo consegui e lá fui eu, chegando no estúdio o tatuador não quis fazer pela minha idade, mesmo com a autorização da minha mãe (hoje agradeço).

Depois deste episódio dei uma sossegada, sempre via uns desenhos bonitos mas ficava com receio, meu medo sempre foi enjoar do desenho e não pela dor. Até que, com 23 anos, envenenaram minha cadela da raça dogue alemão (desconfio de uma pessoa, mas até hoje não descobri quem foi, mas acredito que ‘aqui se faz, aqui se paga’, principalmente para pessoas que maltratam seres indefesos, se foi essa pessoa realmente está pagando e acho muito bem feito), que para mim era mais que um animal, era minha filha! Depois disso prometi que um dia faria uma homenagem para essa pessoinha (sim, pessoinha, ser vivo, meu amor…) que passou em minha vida e deixou muitas saudades.

Anos mais tarde, saindo da faculdade de moda em um belo fim de tarde de verão, decidi que era hora, estava passando por uma fase conturbada e acho que isso me deu uma certa coragem de fazer sem pensar, e lá fui eu, com uma ideia na cabeça e sem nenhuma fonte para mostrar ao tatuador. Chegando no estúdio apenas perguntei o preço, acertamos e lá fui eu. Esse episódio já tem 4 anos, mas para mim será importante para sempre.

Algumas pessoas acham que minha tatuagem “Aloha” se deve pelo fato de eu gostar de praia, surf, pelo meu sonho de viajar para o Havaí… mas não, Aloha era o nome da minha cadela, coloquei nela esse nome por causa do significado da palavra, e que agora significa muito mais para mim. Também tenho certeza de que foi o nome perfeito para ela, uma palavra com tantos significados bons para uma alma maravilhosa. Irei compartilhar com vocês:

Minha tatuagem

Aloha, é a junção de 2 palavras ‘Alo’ e ‘Ha’.

Alo = presença – Ha = respiração, espírito.

Palavra na língua havaiana que significa afeição, carinho, amor, paz, compaixão e misericórdia. Também passou a ser usada como uma saudação para dizer adeus e olá, ou bem-vindo.

A palavra “aloha” também é utilizada em combinação com outros termos, tais como Kakahiaka Aloha que significa bom dia, Aloha Auinala usado como uma saudação e que significa boa tarde, e Aloha Ahiahi que é como você pode desejar boa noite em havaiano. Por causa do significado e da popularidade única de “aloha” o Hawaii é chamado o Estado Aloha.

“Aloha” é um símbolo havaiano. Seu significado vai além de qualquer definição que você possa encontrar nos dicionários. No Hawaii você escuta “aloha” o tempo todo e também é tratado com “aloha” em todos os lugares.

O Espírito Aloha.

O significado literal de “aloha” é “presença da respiração” ou “sopro da vida”. Ela vem de “Alo” que significa presença, frente e rosto, e “Ha” que significa respiração. “Aloha” é uma maneira de viver e de tratar uns aos outros com amor e respeito. Seu significado profundo começa por ensinar-nos a amar nossos próprios seres em primeiro lugar para depois espalhar amor aos outros.
De acordo com os antigos Kahunas (sacerdotes), ser capaz de viver o espírito “aloha” foi uma maneira de alcançar a autoperfeição e a realização para o nosso próprio corpo e alma. “Aloha” é enviar e receber uma energia positiva. “Aloha” é viver em harmonia. Quando você vive o “Espírito de Aloha”, você cria sentimentos e pensamentos positivos que nunca se acabam. Eles existem no espaço, multiplicam-se e espalham-se aos outros.
Aloha Spirit é considerado como lei. Embora a palavra “lei” pareça como algo rigoroso, o Aloha Spirit não é o tipo de lei que vai colocá-lo em problemas. Seu principal objetivo é servir como um lembrete para os funcionários do governo de como tratar as pessoas com profundo cuidado e respeito enquanto exercem suas funções, tal como os seus antepassados fizeram. O Aloha Spirit é mais uma lição do que uma lei. Ao aprender e aplicar essa lição para a vida real os funcionários públicos podem contribuir para um mundo melhor, um mundo cheio de “aloha”.

Definição da Lei Aloha Spirit.

“Aloha Spirit” é a coordenação da mente e do coração dentro de cada pessoa. Cada um deve pensar e proporcionar bons sentimentos para com os outros. Na contemplação e presença da força da vida “aloha”, o seguinte unuhi laula loa pode ser usado:

Akahai: bondade, para ser expressado com ternura.
Lokahi: unidade, para ser expressado com harmonia.
Olu’olu: agradável, para ser expressado com bondade.
Ha’aha’a: humildade, para ser expressado com modéstia.
Ahonui: paciência, para ser expressado com perseverança.

Estes são os traços de caráter que expressam o encanto, carinho e sinceridade das pessoas do Hawaii. Foi a filosofia dos antigos havaianos e foi dado como um presente ao povo.

“Aloha” é mais do que uma palavra ou saudação de encontro ou despedida, significa respeito mútuo e afeição, e estende esse cuidado sem qualquer obrigação em troca. É a essência dos relacionamentos em que cada pessoa é importante para qualquer outra pessoa e para a existência coletiva. Significa ouvir o que não é dito, para ver o que não pode ser visto e conhecer o desconhecido.

Originalmente a palavra era usada exclusivamente como uma demonstração de afeto, paz, misericórdia, e compaixão. Posteriormente, perto do século XIX, começou a ser usada para cumprimentar ou se despedir de alguém. A palavra Aloha está imbuída com algumas características do povo havaiano, como a amizade, hospitalidade e cordialidade.

Aloha spirit, ou em português, Espírito Aloha, é muito mais do que uma palavra, é um estilo de vida e uma técnica que pode ser aplicada em qualquer vida. Esta técnica é caracterizada por uma regra: abençoar tudo e todos que representam aquilo que um indivíduo quer.

O Aloha spirit indica que a palavra Aloha tem um significado bem mais profundo do que simplesmente “amor”, “olá” ou “tchau”. É uma mentalidade constante de aceitação, um caminho que possibilita solucionar qualquer problema e alcançar qualquer objetivo.

O espírito Aloha está cheio de uma energia positiva que está relacionada com um Poder Universal conhecido como Mana. A utilização desse recurso permite alcançar verdadeira felicidade, saúde e prosperidade.

 

Continue Reading

Minha playlist

Sempre tive um gosto bem exótico para música, até um pouco alternativa diga-se de passagem, enquanto todos escutam as músicas da moda eu sempre estou ouvindo o tipo de música que “ninguém conhece”, acho que até por conviver e ter vários artistas na família, minha melhor amiga é cantora por exemplo, meu avô, espanhol e filho do fundador da escola de Belas Artes de La Paz na Bolívia, era um entusiasta em música clássica (cresci ouvindo ópera, que amo), meu pai é artista plástico e fã de músicas antigas (obrigada pai por me apresentar Carlos Gardel), minha avó vivia cantando pela casa e eu a acompanhava, e por aí vai…

O engraçado é que sempre perguntam sobre minhas playlists, já perdi a conta de quantas vezes pediram o pen drive do meu carro emprestado. Tanto que meu canal pessoal no Youtube tem milhares de seguidores, em momentos de ócio criativo tinha mania de editar vídeos e fazer clipes com as músicas que gostava e, mesmo depois de tanto tempo, ainda recebo uma enxurrada de comentários, sempre com a mesma pergunta “qual é a música?”.

Foi aí que, sem nenhuma ideia de post e depois de tanto tempo sem escrever, pensei que seria uma boa ideia fazer uma tag com as playlists.

Bom, irei colocando aos poucos, irei dividir esse post em dois para não ficar enorme com as músicas que estão no meu pen drive atualmente. Depois farei outros pois meu gosto musical muda constantemente, mas sempre com a mesma vibe. Já aviso que músicas “da moda” (vide sertanejo, axé, funk e outras coisas do gênero) nunca entrarão aqui.
















Continue Reading

Onde encontrar os bodies da moda.

A tendência mais forte do verão são os bodies, collants e maiôs. A moda que veio para ficar é, além de democrática, bem fácil de combinar, basta uma calça pantalona ou uma saia longa para um look fashion.

Entenda a diferença:

Body
Ele está em alta e combina com a maioria das peças – principalmente as de cintura alta. O body, normalmente, não possui forro na parte inferior e pode possuir algum tipo de fecho, como botões. Além disso, o tipo de roupa também pode ser feito de diferentes tecidos: malha, veludo e transparência, entre outros. O body é indicado para sair no dia a dia ou arrasar na balada, dependendo da ousadia do tecido e decote.

Collant
O collant é conhecido como uma peça feita para bailarinas, normalmente feito de malha não tem fecho de botões. Você o coloca pelas pernas (tipo saia). Normalmente tem mais resistência que o body ou maiô. O tipo de roupa é indicado para academias ou atividades físicas.

Maiô
Já o maiô é feito de lycra tem mais detalhes que o collant (como meia-taça, bojo, fivelas, etc). A roupa é indicada para ser usada em praias e piscinas, possui forro para evitar a transparência em contato com a água.

Onde encontrar:

Charlotte

Possui as peças da moda, com preço atraente e grande variedade. A marca carioca começou investindo em uma moda gypsy mermaid, estilo a marca australiana Spell (veja aqui: link 1, link 2) e, depois de um tempo em off, volta com força total investindo em beachwear na sua reestreia para depois voltar com a pegada de antes. A produção de peças é feita em baixa escala, o que proporciona, maior exclusividade das peças.

Hype

No mercado desde 2013, a marca de beachwear HYPE, das sócias proprietárias e irmãs Marion e Heloisy Oliveira, tem como principal foco, peças desenvolvidas com matéria prima de altíssima qualidade, com recortes e shapes inovadores e exclusivíssimos.

Cia. Marítima

A Cia. Marítima é a marca de moda praia mais conhecida do Brasil. Todos os biquínis, maiôs, saídas de praia, shorts, cangas e bodies são produzidos com os tecidos da mais alta tecnologia para que a mulher se sinta confortável tanto na praia quanto no dia a dia. Possui um preço um pouco elevado. Recentemente a marca fez parceria com a gigante fast fashion C&A em uma coleção com um preço mais democrático. A marca aposta em parcerias com blogueiras em ações de marketing.

Cla de Luca

O Ateliê Cla de Luca é a paixão da vida da Clariça de Luca, dona da marca, que começou vendendo moda praia para as amigas. O ateliê que começou no Facebook, e migrou para um site, hoje possui um espaço físico que foi criado para proporcionar mais conforto e contato direto com suas clientes.

Continue Reading

Voltando…

Olá,

Recebi muitas mensagens desde que o Modismo parou de postar (último post foi em 2014). Bom, vamos lá!
Como muitos sabem a história do blog começa como um site sobre moda, até que convido algumas amigas jornalistas para escreverem comigo, época em que o Modismo ganhou destaque. Com o tempo cada uma tomou um caminho diferente e eu voltei a escrever sozinha, foi aí que resolvi mudar para um blog pessoal, com uma linguagem mais informal e um layout diferenciado do blog feito por uma agência. Acontece que o Modismo estava hospedado com essa agência e quando pedi para eles passarem para uma hospedagem independente que contratei, o que não aconteceu, eles deletaram todo o layout e vários posts (essa é a agência). Tentando resolver, em vão, acabei me desmotivando com o blog, que durante todo esse tempo ficou parado. De uns meses para cá recebendo ainda algumas mensagens de leitores, e com o incentivo dos Nômades Digitais para começar (ou recomeçar) do zero o blog, acabei colocando a mão na massa, fiz todo o layout e resolvi eu mesma. Assim renasce o Modismo!

Bom, esse é um cantinho onde gosto de compartilhar coisas que gosto, achados, dicas, estilo de vida e relaxar escrevendo.  Sejam bem-vindos!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Continue Reading